{% set baseFontFamily = "Open Sans" %} /* Add the font family you wish to use. You may need to import it above. */

{% set headerFontFamily = "Open Sans" %} /* This affects only headers on the site. Add the font family you wish to use. You may need to import it above. */

{% set textColor = "#565656" %} /* This sets the universal color of dark text on the site */

{% set pageCenter = "1200px" %} /* This sets the width of the website */

{% set headerType = "fixed" %} /* To make this a fixed header, change the value to "fixed" - otherwise, set it to "static" */

{% set lightGreyColor = "#f7f7f7" %} /* This affects all grey background sections */

{% set baseFontWeight = "normal" %} /* More than likely, you will use one of these values (higher = bolder): 300, 400, 700, 900 */

{% set headerFontWeight = "normal" %} /* For Headers; More than likely, you will use one of these values (higher = bolder): 300, 400, 700, 900 */

{% set buttonRadius = '40px' %} /* "0" for square edges, "10px" for rounded edges, "40px" for pill shape; This will change all buttons */

After you have updated your stylesheet, make sure you turn this module off

    A Solução Definitiva Para Sair das Dívidas Rápido

    by Time da Rico | 20 de Julho, 2020
    como sair das dividas urgente

    Entender como sair das dívidas é o objetivo de muita gente.

    E quando falamos muita, não é exagero: 66,5% das famílias brasileiras estão endividadas (dados de maio de 2020).

    A informação consta na Pesquisa de Endividamento e Inadimplência do Consumidor (Peic), da Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC).

    O estudo ainda revela que 10,6% não têm condições de pagar, o que se explica também pelo atual momento da economia.

    Muitas vezes sem emprego ou ganhando pouco, será possível sair das dívidas?

    Seja qual for a sua situação, o crucial neste momento é manter os pés no chão e ter uma atitude pragmática.

    Pensado nisso, preparamos este artigo que vai mostrar como pagar as dívidas e juntar dinheiro.

    Se restar alguma dúvida ao final, é só deixar um comentário!

    Boa leitura!

    Por que os brasileiros se endividam tanto?

    Muitos vão dizer que a raiz do problema do endividamento do brasileiro está em sua cultura, que não é voltada para o ato de poupar.

    Isso é verdade - e não se pode negar.

    Contudo, o que esse raciocínio ignora é que a cultura de um povo é moldada pelas condições materiais do lugar onde ele vive.

    Assim, um ponto crucial para entender o endividamento da população é a analisar a situação econômica do país.

    O crescimento de empresas, a geração de emprego e o consequente aumento do consumo só acontecem quando a situação financeira da nação melhora de maneira geral.

    No Brasil, por exemplo, foram poucos e breves os momentos de estabilidade econômica que permitiram às pessoas pagar suas dívidas e começar a trabalhar para o futuro.

    Seja pela turbulência dos mercados, por impactos do cenário externo ou até mesmo por crises políticas no comando do nosso país, o certo é que o brasileiro não tem tido as condições ideais para fazer diferente no que diz respeito ao seu nível de endividamento.

    Uma bola de neve: Não deixe suas dívidas para amanhã

    como sair das dividas pagando contasDébitos podem virar uma bola de neve. Siga nossas dicas para sair das dividas!

    Temos certeza que você quer aprender como sair das dívidas permanentemente.

    E o primeiro passo para isso, acredite, não é se amparar na crise para justificar um adiamento da meta.

    Muitos preferem não assumir que possuem problemas financeiros e preferem tentar fugir dos problemas.

    Por que não fazer diferente?

    O pagamento de dívidas é crucial para que um débito não se transforme em algo que irá te acompanhar durante muitos e muitos anos.

    E essa observação vale mesmo em um cenário de juros baixos, com Taxa Selic em queda - o que é bastante positivo.

    Ainda assim, quando falamos dos juros praticados pelas instituições financeiras e seus produtos de crédito, os números são preocupantes.

    Uma conta não paga hoje soma juros à próxima fatura e, não raro, se torna impagável.

    Por isso, a melhor opção para saber como controlar as dívidas e sair do vermelho é buscar um acordo com seus credores.

    Lembre que, se você tem interesse de pagar, o credor tem ainda mais interesse em receber.

    Para que a dívida não se torne uma bola de neve e para que você descubra uma forma de liquidar a dívida, o melhor será buscar uma negociação que esteja de acordo com suas condições e seja justa para seu credor.

    Então, tome sempre a iniciativa.

    O que acontece com uma dívida de 10 mil reais durante 3 anos

    A linha de crédito conhecida como rotativa do cartão de crédito é a campeã no quesito juros altos no país.

    A mais recente estimativa divulgada pela Associação Nacional dos Executivos de Finanças (Anefac), referente a maio de 2020, mostra uma taxa média de 5,73% ao mês.

    Vamos imaginar que alguém tenha uma dívida de R$ 10 mil e, durante 3 anos, não consiga amortizar seu valor.

    Nesse cenário, ao final de 3 anos, a dívida estaria assim:

    • Valor devido inicial: R$ 10.000
    • Juros: R$ 64.324,65
    • Dívida total: R$ 74.324,65

    Os números são claros e mostram o tamanho do problema ao carregar uma dívida nessa modalidade de crédito no Brasil.

    Quem possui uma dívida no cartão de crédito ou cheque especial deve buscar alternativas para resolver o problema o mais rapidamente possível.

    Mas como pagar dívidas com pouco dinheiro?

    A resposta é simples: se não tiver alguém que possa emprestar o dinheiro, a melhor alternativa é recorrer ao seu banco e negociar um empréstimo pessoal ou consignado, com juros menores, e trocar a dívida cara por outra mais barata.

    O crédito consignado, aquela linha de crédito com os descontos feitos diretamente na folha de pagamentos das empresas e apontado no holerite, é uma das alternativas mais apropriadas para esse tipo de operação.

    O alerta de que é fundamental não deixar a dívida crescer e se tornar algo fora de controle é importante e faz parte das dicas para poupar com o cartão de crédito.

    Afinal, quanto maior a dívida, maiores serão seus problemas ao longo do tempo (lembre que os juros aqui são altíssimos).

    Como sair das dívidas rápido (mesmo ganhando pouco)

    Com a crise, as pessoas começaram a observar sua renda cair substancialmente.

    Por conta da baixa oferta de trabalho, os brasileiros precisaram aceitar colocações com salário abaixo das pretensões e do que era necessário para a manutenção do padrão de vida.

    Para piorar, muitas pessoas, mesmo com as dificuldades do momento, não conseguem ajustar o padrão de vida.

    Até porque não é fácil abrir mão de alguns luxos – e, por conta disso, com a renda menor, a saída para muitos é buscar linhas de crédito e empréstimos.

    Os altos juros das linhas de crédito disponíveis com maior facilidade (cartão de crédito e cheque especial) ganharam destaque e, rapidamente, as dívidas acabaram crescendo e “tomando de assalto” muitas famílias brasileiras.

    Saber como sair do vermelho ganhando pouco se tornou mais do que uma necessidade: é a única forma de conseguir sobreviver a esse período de grandes dificuldades.

    Quem ganha pouco precisa abrir mão daquilo que não é indispensável para a sobrevivência nesse período.

    Buscar uma renda extra também é uma saída importante para quem quer quitar as dívidas e limpar seu nome em órgãos de proteção ao crédito, como SPC e Serasa.

    Assim, por meio de um planejamento bem executado é possível sair das dívidas, mesmo ganhando pouco.

    Confira o nosso Guia Prático Para Um Planejamento Financeiro Pessoal Poderoso.

    Agora, fique de olho em um passo a passo para se livrar das dívidas de uma vez por todas.

    1. Saiba qual é o valor total das suas dívidas

    como sair das dividas calculo Para começar a "botar a casa em ordem", calcule a sua dívida!

    Não adianta fugir das dívidas: para buscar uma forma de ajustar as contas e uma boa negociação com os credores, a primeira atitude que precisa ser tomada é botar ordem na casa.

    Afinal, como conseguir alternativas quando não entendemos ou mesmo sabemos qual o tamanho da dívida? Impossível!

    Saber o valor total das suas dívidas é crucial.

    Saber quais os produtos de crédito contratados e suas taxas de juros é também importante.

    Talvez, no primeiro momento, por conta do orçamento apertado, não se tenha o dinheiro necessário para pagar todas as dívidas de uma só vez.

    Por isso, é importante conhecer todos os detalhes possíveis e priorizar o pagamento das dívidas com juros maiores e que podem rapidamente sair do controle.

    2. Organize todas as suas finanças pessoais

    Organizar as dívidas e as finanças é crucial, não só nesse momento de dificuldades com as dívidas, mas sempre.

    É muito importante conhecer o orçamento doméstico e trabalhar com ele para respeitar os limites de gastos e também definir como pagar suas dívidas sem comprometer o pagamento das demais despesas da casa.

    3. Renegocie agora suas dívidas: pague primeiro a com maiores juros

    Ao chegar neste momento da leitura, você já percebeu que é fundamental se organizar e conhecer em detalhes as dívidas que possui.

    A prioridade é entender como pagar as dívidas que possuem os maiores juros.

    Outra decisão importante é acertar as dívidas de serviços essenciais, como água e luz.

    Atenção dobrada também para as dívidas com aluguel e condomínio, que podem atrapalhar a vida da família.

    4. Faça um planejamento financeiro

    como sair das dividas planejamentoPara sair das dívidas, é essencial criar um bom planejamento financeiro

    O planejamento financeiro precisa ser muito mais do que uma ferramenta.

    É importante que seja utilizado sempre, e que as decisões que envolvam dinheiro sejam amparadas pelas informações e análises desse planejamento.

    Entre outras coisas, o planejamento financeiro ajudará você a montar estratégias que responderão algumas questões fundamentais da sua vida:

    Ao contrário do que muita gente acredita, realizar um bom planejamento financeiro não é algo difícil, só para especialistas. É apenas um exercício de praticar o bom senso.

    Você precisará definir prioridades e respeitar os seus limites.

    Simples assim!

    5. Mantenha o controle total dos seus gastos: crie metas!

    Um dos principais pontos do planejamento financeiro é manter o controle dos gastos.

    Ainda hoje muita gente utiliza a contabilidade mental como única maneira de controlar a vida financeira.

    Para alguns, isso pode até funcionar por algum tempo, mas, via de regra, nossa cabeça vai nos pregar uma peça, principalmente quando decidirmos fazer algum tipo de financiamento e batermos na tecla das parcelas que cabem no bolso.

    Cuidado! Várias pequenas parcelas, aparentemente inofensivas quando olhadas individualmente, quando somadas, têm um poder de destruição enorme.

    Comece a criar metas de consumo e trabalhe-as com seu orçamento de forma inteligente.

    Se você tem alguma dúvida, comece priorizando a redução dos gastos fixos e faça de seu planejamento uma arma que responderá como se livrar das dívidas, como sair do vermelho.

    6. Poupe uma parte dos seus ganhos mensalmente

    Quando o assunto é poupar, uma estratégia dentro do planejamento também precisa ser seguida.

    O importante é separar, dentro do seu controle financeiro, um percentual para formar sua reserva para emergências e para realizar os objetivos de curto, médio ou longo prazo.

    A dinâmica para isso varia de família para família, é claro.

    Você pode, por exemplo, organizar uma estratégia para economizar dinheiro semanalmente, se assim for melhor.

    O indispensável é tratar esse assunto como prioridade e não simplesmente esperar o final do período para investir o que sobrar (porque nunca sobra).

    Nova call to action

    7. Crie um reserva de emergência

    Outro ponto importante para sair das dívidas é criar uma reserva financeira.

    Esse dinheiro poupado se destina às emergências e impede que em momentos de desespero você precise recorrer a fontes caras de crédito, como cartão e cheque especial.

    Especialistas indicam que a reserva seja correspondente ao valor que você precisa para se manter entre três e seis meses.

    8. Mantenha o hábito de negociar suas compras

    Em geral, o brasileiro não tem o hábito de negociar suas compras.

    Se você é uma pessoa que tem vergonha de pedir desconto e fazer prevalecer seus direitos na hora de comprar, aprenda que quem não negocia acaba pagando a conta daquele que toma a iniciativa e pede desconto.

    Pechinchar faz parte e é sadio para o comércio como um todo.

    Sempre faça uma boa pesquisa.

    Neste sentido, use e abuse da internet, que facilita bastante a comparação de preços e até mesmo a compra mais barata.

    9. Evite parcelar suas compras

    como sair das dividas cartao creditoLembre-se, os juros são altos. Muita cautela ao usar o cartão de crédito.

    Uma dica para economizar dinheiro e colocar as finanças em dia é sempre priorizar os pagamentos à vista.

    O parcelamento de compras, quando feito sem controle, acaba criando problemas graves para o bolso.

    Já falamos, mas vale repetir: várias compras parceladas somadas não só deixam de caber no bolso, como também acabam levando você a utilizar os limites do cheque especial e a função rotativa do cartão de crédito – e isso é praticamente suicídio por aqui (os juros estratosféricos, lembra deles?).

    10. Continue aprendendo sobre finanças pessoais

    Falar sobre dinheiro é importante e precisa ser mais valorizado.

    Quando colocamos em prática a educação financeira, tudo se torna mais fácil, afinal a conversa é muito mais produtiva quando a grana não é um problema.

    Atualmente, existe muita literatura de finanças pessoais de ótima qualidade.

    Quem está tentando economizar, pode recorrer à internet, que também apresenta muito conteúdo especializado que garante informações importantes sobre finanças.

    Um bom material de finanças pessoais pode ajudar a responder algumas questões importantes:

    •         Como pagar dívida que está fora de controle?
    •         Como economizar dinheiro para a realização dos sonhos?
    •         Como encontrar os melhores investimentos?

    11. Evite gastos supérfluos: pratique o consumo consciente

    como sair das dividas gastos
    "Não consigo sair das dividas" é uma frase comum de pessoas muito consumistas. 

    No final, a realização dos nossos sonhos depende de uma série de decisões que precisamos construir ao longo de algum tempo.

    Para sonhos de longo prazo, decisões que tomamos hoje podem ser de um impacto tremendo (positivo ou negativo, cabe a nós escolhermos).

    A melhor forma de fazer boas escolhas é transformando o consumo consciente um hábito.

    Ou seja, consumir sem desperdícios.

    12. Procure opções para renda extra

    Se você já fez e refez o seu planejamento financeiro diversas vezes, mas, ainda assim não conseguiu fechar a conta, talvez seja o caso de buscar novas fontes de capital.

    O aumento da renda é, muitas vezes, inevitável para equilibrar as contas.

    Portanto, pense em atividades que você pode desempenhar no seu tempo vago para ganhar mais dinheiro.

    13. Crie o hábito de investir mensalmente parte dos seus ganhos

    Para manter uma vida financeira feliz, é fundamental que o planejamento financeiro seja uma prioridade.

    Mais do que isso, cuidar do dinheiro e escolher bons investimentos precisa ser um hábito.

    No Brasil, ainda não construímos uma cultura de poupar e investir de forma natural, mas isso está mudando com iniciativas e empresas com a Rico.

    Existem hoje diversos tipos de investimentos - e escolher o melhor é uma tarefa que precisa ser encarada com seriedade e comprometimento.

    Diversificar os investimentos, com uma estratégia adequada para cada objetivo, é mais do que uma necessidade: é também uma oportunidade de aproveitar determinadas alternativas de investimento e garantir muita diferença na rentabilidade total do patrimônio ao longo do tempo.

    Se os juros estão altos, a renda fixa apresenta ótimas oportunidades.

    Já quando estão baixos, faz todo sentido destinar um percentual do seu capital para investir também em renda variável (bolsa de valores), principalmente se você pensa no longo prazo.

    Nova call to action

    14. Baixe uma planilha modelo para controle financeiro pessoal

    como sair das dividas planilha de gastos
    Tenha uma planilha de controle de gastos e melhore a sua vida financeira!

    As ferramentas sempre serão importantes para ajudar a operacionalizar seu sonho de equilibrar sua vida financeira.

    Quem utiliza bons controles jamais se vê dizendo coisas como “Não consigo sair das dívidas”.

    Aproveite sua disposição de tomar o controle de sua vida financeira para baixar uma planilha incrível neste outro post.

    Com ela, você poderá encontrar, diariamente, conforme vai alimentando essa incrível ferramenta, dicas para economizar dinheiro na prática.

    Uma planilha de pagamento de dívidas, por exemplo, oferece uma visão completa do seu dia a dia, oferecendo informações indispensáveis para tomar as melhores decisões financeiras.

    Se você prefere outro tipo de ferramenta para fazer seu controle financeiro, não há problema.

    Muita gente faz o orçamento e o planejamento registrando anotações em cadernetas ou cadernos, e tudo funciona bem.

    Algumas pessoas gostam de aplicativos e fazem o controle financeiro pelo smartphone - o resultado também é muito positivo.

    Como sair das dívidas de cartão

    Nos últimos anos, o cartão de crédito, junto ao cheque especial, se tornou um dos grandes vilões dos brasileiros.

    Com juros altíssimos, essas fontes de crédito chamam atenção por serem de fácil acesso para praticamente todos os clientes de instituições financeiras.

    E uma vez que alguém perde o controle do quanto deve em uma dessas modalidades, fica muito difícil pagar, já que a dívida cresce com juros diários.

    Para sair desse ciclo vicioso, o primeiro passo é retomar os valores devidos e organizar tudo em uma planilha.

    A renegociação, então, deve ser o caminho, dando prioridade a aqueles cartões que têm uma taxa de juros maior.

    Na hora de parcelar, certifique-se de que o valor mensal cabe dentro do seu orçamento.

    Só assim você foge do efeito bola de neve e se previne para não voltar a ele.

    6 Técnicas infalíveis para te ajudar negociar dívidas 

    O momento de negociar as dívidas pode ser intimidador para muitas pessoas que sofrem por não saber por onde começar ou como garantir boas taxas.

    Confira abaixo nossa lista de técnicas infalíveis para te ajudar nesse momento.

    1. Avalie sua situação financeira

    O primeiro passo a ser tomado pelo devedor deve ser avaliar sua situação financeira atual.

    Recupere todas as suas contas e informe-se sobre o valor atualizado das dívidas para, a partir disso, começar a fazer o seu planejamento financeiro.

    2. Estabeleça um valor limite para as parcelas

    De nada adianta renegociar suas dívidas e acabar aceitando um parcelamento com valores que você não vai conseguir pagar todos os meses.

    Por isso, certifique-se de que as parcelas cabem no seu orçamento para não acabar voltando para a inadimplência.

    3. Priorize dívidas mais caras

    A dica geral é sempre de priorizar aquelas dívidas que tem uma taxa de juros maior para economizar no pagamento.

    Como a taxa incide sobre o valor total da sua dívida, é ideal também priorizar aquelas dívidas que são mais caras.

    4. Pesquise ofertas de outras instituições financeiras

    Na maioria das vezes, o que acaba encarecendo a sua dívida são as taxas do atraso e do parcelamento.

    Acontece que esses juros podem ser suprimidos no caso de pagamento à vista.

    Por isso, é interessante ficar de olho em ofertas de crédito de outras instituições financeiras que tenham os juros menores.

    Assim, você pode fazer um empréstimo e quitar sua dívida original por um valor mais baixo.

    5. Fique de olho nos feirões de negociação

    Outra opção para quitar sua dívida com desconto é ficar de olho nos feirões de negociação promovidos por instituições como o Serasa e o SPC.

    Nessas ocasiões, é possível quitar sua dívida por um preço diferenciado, recebendo descontos de até 90% sobre o valor total.

    6. Leia o contrato com atenção

    Nunca assine um contrato sem lê-lo com atenção, e isso vale também para as renegociações.

    Analise bem as informações do seu parcelamento antes de concordar para não acabar fazendo um mau negócio.

    Principais dúvidas sobre o pagamento de dívidas

    Na hora de pagar suas dívidas, é comum que surjam algumas dúvidas.

    A seguir, reunimos as principais perguntas sobre o tema e apresentamos as respostas para você.

    Posso usar FGTS para pagar dívidas?

    A resposta para essa pergunta pode ser sim ou não.

    Vamos explicar: não existe hoje na lei a possibilidade de fazer saques no FGTS especificamente para o pagamento de dívidas – ainda que exista um projeto de lei tramitando sobre o assunto.

    De qualquer forma, o trabalhador pode sim aproveitar o valor retirado no saque-aniversário para amortizar ou pagar suas contas.

    Devo pegar empréstimo para pagar minhas dívidas?

    A escolha de pegar um empréstimo para pagamento da sua dívida depende das ofertas de crédito que você consegue pleitear no mercado.

    Caso o financiamento oferecido tenha uma taxa de juros inferior ao do parcelamento de sua dívida, essa pode ser uma opção viável para economizar dinheiro.

    Devo começar a investir antes de pagar todas as minhas dívidas?

    De maneira geral, o pagamento das dívidas precisa ser o primeiro passo da sua organização financeira.

    Na maioria das vezes, a rentabilidade dos investimentos é inferior aos juros que você vai pagar enquanto sua conta estiver aberta.

    Mas, uma vez que você negociou sua dívida e está pagando o parcelamento em dia, pode e deve pensar em montar sua reserva financeira para momentos de emergência.

    Vale a pena deixar a dívida prescrever?

    A ideia de que a dívida vai “prescrever” depois de um tempo e parar de existir é falsa.

    O que acontece, na verdade, é que, depois de cinco anos, o prazo de cobrança caduca e o seu registro é retirado dos bureaus de crédito.

    Ainda assim, é importante lembrar que a dívida continua existindo e segue aumentando seu valor por conta dos juros.

    Conclusão

    como sair das dividas agora
    Coloque em prática nossas recomendações e livre-se das dívidas agora mesmo!

    Tenha em mente que as ferramentas são apenas ferramentas e o fundamental é sua atitude e a decisão de conquistar uma vida cada vez mais rica e feliz a partir do planejamento financeiro

    Se você está com muitas dívidas e pouco dinheiro, sua melhor alternativa é seguir caminhando, resolvendo os problemas de forma objetiva e direta.

    Seu caminho pode até não ser fácil, mas com um pouco de organização e planejamento, você vai encontrar uma solução definitiva não só para sair das dívidas, mas também para se tornar um investidor de sucesso.

    Conte conosco nesta jornada!

    Aproveite para continuar aprendendo e confira esses outros artigos do Blog:

    Gostou de descobrir o que fazer para sair das dividas rapidamente? Deixe um comentário com sua opinião abaixo.

    Obrigado por ler até aqui!

    Nova call to action