{% set baseFontFamily = "Open Sans" %} /* Add the font family you wish to use. You may need to import it above. */

{% set headerFontFamily = "Open Sans" %} /* This affects only headers on the site. Add the font family you wish to use. You may need to import it above. */

{% set textColor = "#565656" %} /* This sets the universal color of dark text on the site */

{% set pageCenter = "1100px" %} /* This sets the width of the website */

{% set headerType = "fixed" %} /* To make this a fixed header, change the value to "fixed" - otherwise, set it to "static" */

{% set lightGreyColor = "#f7f7f7" %} /* This affects all grey background sections */

{% set baseFontWeight = "normal" %} /* More than likely, you will use one of these values (higher = bolder): 300, 400, 700, 900 */

{% set headerFontWeight = "normal" %} /* For Headers; More than likely, you will use one of these values (higher = bolder): 300, 400, 700, 900 */

{% set buttonRadius = '40px' %} /* "0" for square edges, "10px" for rounded edges, "40px" for pill shape; This will change all buttons */

After you have updated your stylesheet, make sure you turn this module off

    5 motivos pra você sair da poupança

    by Rico.com.vc on Maio 29, 2014

    Brasileiro que é brasileiro sempre foi adepto à poupança, seja por hábito passado por seus pais e avós ou simplesmente porque desconhece outros tipos de aplicações.

    Acontece que essa mania de guardar o 'dinheiro no porquinho" nem sempre é vantajosa pra quem quer acumular riqueza, principalmente no médio/longo prazo. Afinal, trocar de carro, terminar a faculdade, viajar para o exterior ou dar a entrada para o apartamento são projetos comuns a quase todas as pessoas em idade produtiva, que convenhamos, exigem um minucioso planejamento financeiro.  

    Por isso, aconselhamos você a ir 'mexendo os pauzinhos' desde agora e conhecer as desvantagens de deixar o seu dinheiro no banco. Vamos lá, veja os 5 motivos pra você sair já da poupança:

    sair da poupanca

    1) Em 2013, a Poupança perdeu para a inflação

    No ano passado, a poupança rendeu 5,8% e o IPCA (Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo), 5,91%. Logo, quem investiu na poupança não chegou a "investir de fato" e sim perdeu dinheiro. Ou seja, o dinheiro que a poupança rendeu não conseguiu acompanhar a inflação e sofreu prejuízo no poder de compra.

    Para o ano de 2014, a perspectiva de inflação (IPCA) a 6,5% faz com que o rendimento bruto do Tesouro Direto, mais especificamente o título público NTN-B Principal (com vencimento em 05/2019), fique próximo a 12,7% ao ano. Nesse patamar, seu rendimento líquido após 2 anos equivaleria a 10,8%, o que fica muito acima do rendimento líquido atual da poupança de 6,2% ao ano.

     

    2) O rendimento da poupança é somente no aniversário

    Pra quem nunca ouviu falar em “aniversário da poupança”, funciona assim: é o dia do mês em que você fez o primeiro depósito na conta poupança.

    Ou seja, se você depositou R$80,00 no dia 12 de abril de um ano qualquer, esse dia será o aniversário da poupança. A partir daí, todo dia 12 será creditado o rendimento dela, mas se em um mês seguinte qualquer o dia 12 cair em um fim de semana ou feriado, o rendimento será creditado no próximo dia útil.

    Com base nas regras acima, deduz-se que quem aplica na poupança por menos de 30 dias não recebe rentabilidade nenhuma, assim como quem retira o dinheiro da poupança antes de sua "data de aniversário" de cada mês fica sem o rendimento do período. 

     

    3) Selic em alta 

    Nos dias de hoje (com a Selic acima de 8,5%) a regra de remuneração que vigora é TR + 0,5% a.m., o que significa um rendimento de aproximadamente 6,17% ao ano. Se você aplicar em um CDB com 100% do CDI (prazo superior a 2 anos) a rentabilidade líquida chegaria em torno de 8,75% (41% a mais da poupança). Já se você aplicar em um título público prefixado (prazo também superior a 2 anos) a rentabilidade liquida pode chegar a 10,22%. Ou seja, nesse caso vale 'olhar para os lados' e comparar a poupança com outros investimentos de tempos em tempos.

     

    4) Risco maior que títulos públicos

    O risco de aplicar em poupança é maior que em títulos públicos, pois na prática é mais fácil um banco quebrar que o governo falir. Explica-se: o Tesouro Nacional é vinculado ao Governo Federal, que como toda instituição pública possui boa solidez financeira. Além disso, os títulos públicos são investimentos de renda fixa, que como a poupança são ideais para quem quer um investimento conservador.


    5) Alienação

    Pelo simples fato de a poupança ser acessível e ter boa liquidez, no primeiro imprevisto (como o carro quebrado, por exemplo) você vai recorrer a ela pra retirar dinheiro. Ou seja, ao criar esse hábito você acaba não conseguindo criar diciplina para economizar e planejar-se financeiramente com base no seu salário. Do contrário, ao comprar títulos públicos com vencimento pra daqui a 3 anos, por exemplo, além de ganhar quase o dobro em termos de rentabilidade você aprende a separar as finanças do cotidiano daquelas que servem de investimento para o futuro. 

     

     

     

    ***** 

    Com todos os motivos listados acima, você já está convencido a procurar novas formas de investir seu dinheiro? Aproveite e conheça os nossos investimentos em renda fixa, já é um bom passo para começar: www.rico.com.vc/rendafixa

    Topics: Como começar a investir

    Top 5 Posts

    Posts Recentes