{% set baseFontFamily = "Open Sans" %} /* Add the font family you wish to use. You may need to import it above. */

{% set headerFontFamily = "Open Sans" %} /* This affects only headers on the site. Add the font family you wish to use. You may need to import it above. */

{% set textColor = "#565656" %} /* This sets the universal color of dark text on the site */

{% set pageCenter = "1100px" %} /* This sets the width of the website */

{% set headerType = "fixed" %} /* To make this a fixed header, change the value to "fixed" - otherwise, set it to "static" */

{% set lightGreyColor = "#f7f7f7" %} /* This affects all grey background sections */

{% set baseFontWeight = "normal" %} /* More than likely, you will use one of these values (higher = bolder): 300, 400, 700, 900 */

{% set headerFontWeight = "normal" %} /* For Headers; More than likely, you will use one of these values (higher = bolder): 300, 400, 700, 900 */

{% set buttonRadius = '40px' %} /* "0" for square edges, "10px" for rounded edges, "40px" for pill shape; This will change all buttons */

After you have updated your stylesheet, make sure you turn this module off

    Retrospectiva 2016

    by Gloria Maciel | 2 de Dezembro, 2016

    Que ano! Podemos considerar 2016 um dos maiores para aqueles que gostam de eventos que modificam as perspectivas, trazem volatilidade aos mercados e em consequência também apresentam novas oportunidades aos investidores.

    restrospectiva_2016.jpg

    Iniciamos o ano já marcante com um recuo de quase 23% da bolsa na China no primeiro mês. Preocupações relativas ao crescimento da segunda maior economia do mundo, tensões no Oriente Médio, decisões de política monetária nos principais bancos centrais do mundo e também no Brasil além de testes nucleares realizados na Coreia do Norte foram os principais temas de janeiro mas que poderiam ser citados em quase todo o ano vigente. Obviamente, por casos como estes não poderíamos deixar de falar do impacto destes eventos nas principais commodities como minério de ferro e petróleo, que em alguns meses do ano, inclusive, chegaram a apresentar alta superior a 20%. Além disso, comentava-se desde fevereiro que a cúpula da OPEP poderia reduzir ou congelar produção da petróleo visando o aumento do preço da commodity, o que ocorreu apenas no último dia do mês de novembro.

    Mas no Brasil, no Reino Unido e nos EUA que realmente tivemos grandes novidades, ou até surpresas, como preferir. Em abril, foi votado na Câmara dos Deputados o afastamento da presidente Dilma Rousseff, sendo o segundo presidente do país a sofrer impeachment nos últimos 24 anos. Inclusive, por esta razão, o Ibovespa, o principal índice da bolsa nacional, encerrou com sua maior alta mensal em março deste ano desde outubro de 2002. Na terra da rainha, surpreendeu o mundo a votação no referendo para o Brexit, o que deve culminar na saída do Reino Unido da União Europeia. Já nos EUA foi absolutamente surpreendente e inesperada a eleição de Donald Trump para presidente do país, trazendo muita volatilidade aos mercados de bolsa, câmbio e juros, especialmente para os mercados emergentes, dentre eles o Brasil.

    Algo que não foi deixado de lado em 2016 foram as intervenções dos principais bancos centrais do mundo na economia, "depositando" liquidez abundante nos mercados. EUA, Zona do Euro e Japão ficaram como os destaques neste quesito buscando manter a economia ativada através de juros baixos e compras ou recompras de títulos. 

    Por tantas especulações, expectativas, suposições e perspectivas diante de tantas notícias e fatos relevantes que enxergamos este ano um ano diferente. Por razões como estas também surgiram ótimas oportunidades de investimento. Títulos do Tesouro Direto pagando taxas acima da média no começo do ano e que pelo momento político-econômico do país apresentaram rentabilidades bastante expressivas. No mercado de ações, deveremos fechar 2016 com forte avanço do Ibovespa, após quase 6 anos seguidos de baixa. No câmbio a mesma coisa com o dólar surpreendendo pelo forte recuo.

    E para fechar ainda temos dezembro inteiro com uma agenda para lá de carregada, com decisão de política monetária nos EUA que deverá elevar a taxa de juros no país pela primeira vez após 12 meses além das novas diretrizes de política econômica para o país que deverá ser apresentada pelo novo presidente. No Brasil, ainda teremos diversas votações relevantes no Congresso Nacional, com grande destaque para as reformas de ajuste fiscal necessárias ao país, como a PEC que limita o teto dos gastos do governo.

    Que baita ano. Dois mil e dezesseis certamente ficará em nossas memórias.

    Roberto_indech-4.jpg

    Analista de investimentos da Rico, faz análises diárias sobre o panorama mundial do mercado e recomendação dos ativos mais rentáveis do momento.

    Contato: rindech@rico.com.vc

    Top 5 Posts

    Posts Recentes