{% set baseFontFamily = "Open Sans" %} /* Add the font family you wish to use. You may need to import it above. */

{% set headerFontFamily = "Open Sans" %} /* This affects only headers on the site. Add the font family you wish to use. You may need to import it above. */

{% set textColor = "#565656" %} /* This sets the universal color of dark text on the site */

{% set pageCenter = "1200px" %} /* This sets the width of the website */

{% set headerType = "fixed" %} /* To make this a fixed header, change the value to "fixed" - otherwise, set it to "static" */

{% set lightGreyColor = "#f7f7f7" %} /* This affects all grey background sections */

{% set baseFontWeight = "normal" %} /* More than likely, you will use one of these values (higher = bolder): 300, 400, 700, 900 */

{% set headerFontWeight = "normal" %} /* For Headers; More than likely, you will use one of these values (higher = bolder): 300, 400, 700, 900 */

{% set buttonRadius = '40px' %} /* "0" for square edges, "10px" for rounded edges, "40px" for pill shape; This will change all buttons */

After you have updated your stylesheet, make sure you turn this module off

    Pra onde tenha sol é pra lá que eu vou

    by Rico Matinal | 24 de Setembro, 2020

    Confira o Rico Matinal de hoje - 24/09/2020

    rico matinal-4

    Resumo do dia: Wake me up when September ends

    (por Betina Roxo)

    Após forte queda de ontem, bolsas globais operam sem movimentos expressivos nesta manhã de quinta-feira. Nos EUA (0%), o Federal Reserve anunciou necessidade de mais estímulos fiscais para sustentar a recuperação econômica. Na Europa (-0,6%), mercado aguarda divulgação oficial de novas medidas restritivas.

    O recente risk-off (redução de posições, devido ao aumento do risco) no mercado surge em meio a uma escalada de casos de coronavírus, aumentando a preocupação com outra rodada de lockdowns e medidas restritivas que poderiam prejudicar o começo da recuperação econômica.

    Enquanto isso, as chances de outro pacote de estímulos nos EUA antes das eleições americanas parecem diminuir. Tudo isso reflete no clima negativo do mercado neste mês de setembro, vide movimento diário das bolsas americanas abaixo.

    bolsas

    Além disso, você pode até achar criativo esse título de hoje "Wake me up when September ends", mas a verdade é que é super "batido" no mercado.

    Isso porque setembro costuma ser um mês difícil. Desde 1950, o Dow Jones teve uma queda média de 0,8% no mês de setembro, enquanto o S&P 500 registrou uma queda média de 0,5%. Inclusive, falamos sobre o "Efeito setembro" aqui, além dos fatores que poderiam trazer tamanha volatilidade (e que realmente trouxeram).

    Por fim, no Brasil, o IPCA-15 divulgado pelo IBGE ontem apresentou expansão de 0,45% em setembro, em linha com as nossas expectativas, mas acima das expectativas de mercado (0,39%). Os núcleos de inflação continuaram bem-comportados, mas diante da expectativa de continuidade do aumento dos preços da gasolina e de alimentos, além da recente recuperação gradual apresentada pelos preços de serviços e bens duráveis, revisamos a nossa projeção de IPCA para 2020 de 1,7% para 2,6%. Ainda com o entendimento de que o aumento nos preços tem sido gerado por choques que devem se dissipar no decorrer do próximo ano, quando a ociosidade deve permanecer elevada, mantivemos a nossa projeção de IPCA para 2021 em 2,6%.

    Na política, destaque para a continuidade da ofensiva do governo pra reintroduzir a criação de um imposto sobre transações no debate da reforma tributária. O ministro Paulo Guedes falou ontem, depois de reunião com Jair Bolsonaro, que o governo estuda “tributos alternativos” que possam permitir a ampliação da desoneração da folha de pagamentos — facilitando a geração de empregos e a criação de uma “porta de saída” para o programa de transferência de renda planejado pelo governo. A proposta ainda enfrenta resistências no Congresso.

    Insight Rico: Pra onde tenha sol é pra lá que eu vou

    (por Betina Roxo) 

     Estou adorando essa história de colocar música pra fazer parte da “experiência” da leitura. Acho muito que a vida tem trilha sonora (nossa que poética), mas sério, cada momento tem uma música que me marca. Vocês, caros/as 13 leitores/as também são assim?

    A música do título desse insight é uma delas, que me lembra a fase dos 14-15 anos... Hoje quando falamos de sol, a música que vem na cabeça é outra né? “O sol, vê não me esquece e me ilumina, preciso de você aqui...”

    Mas para esse insight, a trilha será outra: clica aqui.

    Voltemos...

    “Back to basics”
    Fonte: Nasa

    Obs: Clique na imagem abaixo para "viajar" pelo sistema solar!

    sol

    O Sol - o coração do nosso sistema solar - é uma estrela mais próxima da Terra, uma bola quente de gases brilhantes.

    Sua gravidade mantém o sistema solar unido, mantendo tudo, desde os maiores planetas até as menores partículas de detritos em sua órbita. As correntes elétricas no Sol geram um campo magnético que é conduzido através do sistema solar pelo vento solar - um fluxo de gás eletricamente carregado que sai do Sol em todas as direções.

    A conexão e as interações entre o Sol e a Terra impulsionam as estações, as correntes oceânicas, o clima, os cinturões de radiação e as auroras. Embora seja especial para nós, existem bilhões de estrelas como o nosso Sol espalhadas pela Via Láctea.

    E põe especial nisso... além de estimular o funcionamento dos neurotransmissores, entre eles a serotonina, dopamina, noradrenalina e endorfina, responsáveis por trazerem bom humor, por exemplo, o sol é uma fonte de energia limpa.

    Hoje, os combustíveis fósseis são a fonte final de 85% da energia, que é responsável por dois terços das emissões de gases de efeito estufa no mundo.

    Por outro lado, uma imagem do novo sistema de energia está surgindo. Com uma ação ousada e eficaz, a eletricidade renovável, como a energia solar e eólica, poderia aumentar de 5% da oferta hoje para 25% em 2035 e quase 50% até 2050.

    energia

    Fonte: BEN e IEA

    Segundo essa matéria da The Economist, o petróleo alimentou o século 20 - seus carros, suas guerras, sua economia e sua geopolítica. Agora o mundo está passando por um choque de energia que está acelerando a mudança para uma nova ordem. Quando o covid-19 atingiu a economia global no início deste ano, a demanda por petróleo caiu em mais de um quinto e os preços despencaram.

    Desde então, houve uma recuperação instável, mas será que retornaremos ao velho mundo?

    Bom, não temos bola de cristal, mas que os produtores de combustíveis fósseis estão sendo forçados a enfrentar suas vulnerabilidades, eles estão.

    A ExxonMobil, por exemplo, foi expulsa do Dow Jones Industrial Average em agosto, sendo membro desde 1928. Junto a ela, também saíram Pfizer e Raytheon Technologies como parte da maior remodelação do benchmark em sete anos, aumentando o peso das empresas de tecnologia.

    Embora qualquer mudança no Dow Jones seja notável, a expulsão da Exxon Mobil - a maior empresa do mundo em 2011 - marca uma verdadeira “queda de gigantes”, refletindo o declínio das empresas de commodities na economia americana. No valor de US$ 525 bilhões em 2007 e mais de US$ 450 bilhões em 2014, a ação caiu em quatro dos seis anos antes de 2020 e acumula queda de mais de 50% esse ano.

    Além disso, em 2020, as questões de sustentabilidade têm ganhado força. À medida que o público, governos e investidores se preocupam com as mudanças climáticas, a indústria de energia limpa ganha impulso.

    Entretanto, a mudança para uma nova ordem de energia é vital, mas será complicada. Vale observar que hoje a China possui domínio na fabricação de componentes-chave e no desenvolvimento de novas tecnologias, produzindo 72% dos módulos solares do mundo, 69% de suas baterias de íon-lítio, 45% de suas turbinas eólicas e controlando grande parte do refino de minerais essenciais para a energia limpa, como cobalto e lítio. Outro grande risco é a transição dos petro-estados, que respondem por 8% do PIB mundial.

    E as empresas no Brasil, o que tem feito?

    Segundo Maíra Maldonado, analista do setor Elétrico da XP Investimentos, no Brasil, das empresas listadas, as que mais se destacam são AES Tietê (TIET11) e Ômega Geração (OMGE3). A Ômega é uma geradora exclusivamente renovável (eólica, solar e pequenas hidrelétricas) com capacidade instalada de 1,1 GW que representa um crescimento de 4,5x desse seu IPO em julho de 2017. Já a AES Tietê tem ativos de geração hídrica, eólica e solar que somam uma capacidade instalada de 3,7GW de energia exclusivamente renovável, além de um pipeline em análise com capacidade para mais 4GW.

    Além disso, outras empresas, mesmo de setores variados, também têm investido em energia limpa, sem contar o crescimento de startups focadas nessa transformação.

    Inclusive, ontem fiz uma live super legal com o Fabio Carrara, CEO e fundador da Solfácil, a primeira plataforma de financiamento em energia solar fotovoltaica no Brasil. Segundo ele, apenas 0,3% das casas no Brasil possuem sistema de energia solar e há muito espaço para o crescimento. Veja a live clicando neste link.

    E se tiver mais interesse, temos um ótimo convite para você! Nessa sexta às 10h teremos nosso primeiro Pitchday ESG. Estaremos ao vivo em parceria com a Microsoft, para apresentar startups com potencial de transformar o Brasil. Acompanhem pelo LinkedIn XP Inc. ou pelo nosso canal do YouTube nesse link.

    Agenda da Semana

    Quinta-feira, 24

    08h00: Brasil - Relatório trimestral de inflação

    09h30: EUA - Novos pedidos seguro-desemprego

    10h45: EUA - PMI Serviços

    Topics: Rico Matinal