{% set baseFontFamily = "Open Sans" %} /* Add the font family you wish to use. You may need to import it above. */

{% set headerFontFamily = "Open Sans" %} /* This affects only headers on the site. Add the font family you wish to use. You may need to import it above. */

{% set textColor = "#565656" %} /* This sets the universal color of dark text on the site */

{% set pageCenter = "1200px" %} /* This sets the width of the website */

{% set headerType = "fixed" %} /* To make this a fixed header, change the value to "fixed" - otherwise, set it to "static" */

{% set lightGreyColor = "#f7f7f7" %} /* This affects all grey background sections */

{% set baseFontWeight = "normal" %} /* More than likely, you will use one of these values (higher = bolder): 300, 400, 700, 900 */

{% set headerFontWeight = "normal" %} /* For Headers; More than likely, you will use one of these values (higher = bolder): 300, 400, 700, 900 */

{% set buttonRadius = '40px' %} /* "0" for square edges, "10px" for rounded edges, "40px" for pill shape; This will change all buttons */

After you have updated your stylesheet, make sure you turn this module off

    "É melhor Jair se Acostumando" (com um dólar mais alto)

    by Thiago Salomão e Matheus Soares | 27 de Novembro, 2019

    Esse texto é um compilado do Rico Matinal dos dias 26 e 27 de novembro de 2019. O Rico Matinal é um relatório diário escrito pelos analistas da Rico Thiago Salomão e Matheus Soares e disponível a todos os nossos clientes.

    alta-do-dolarEm evento nos EUA, o ministro da economia Paulo Guedes disse que “é bom se acostumar com juros mais baixos por um bom tempo e com o câmbio mais alto por um bom tempo”. A frase me lembrou aquele bordão usado pelos eleitores do Bolsonaro no ano passado: É melhor Jair se acostumando.

    Essa projeção do Guedes não chega a ser inesperada, mas o fato é que a cotação do dólar sempre foi vista como um “termômetro” do quão arriscado está o Brasil: se o dólar subisse, indicava que os estrangeiros não querem investir aqui (fuga de capital); se caísse, indicava entrada de capital.

    "Então por que o dólar está subindo se o risco-Brasil está baixo, o Ibovespa está nas máximas históricas e as projeções para economia são promissoras?"

    Sendo bem direto na resposta, como costumamos ser: essa alta do dólar não tem a ver com uma piora de percepção do Brasil. O dólar mais forte faz sentido neste “novo Brasil” de juros estruturalmente baixos, pois isso tira o interesse do investidor mais especulador, que via o Brasil como um país para fazer "carry trade" (explicamos o que é isso no Rico Matinal de 18/out – link aqui).

    Trazendo uma visão mais técnica da situação, chamamos José Faria Junior, diretor da Wagner Investimentos e autor de um relatório sobre dólar que eu leio todos os dias, não só pela didática mas pela assertividade das análises.

    Estive com ele ontem à noite para a gravação do Stock Pickers  na BSP Business School (onde ele head professor dos cursos de MBA), que contou ainda com Henrique Bredda (Alaska) e Fernando Fontoura (Persevera). Não podia perder a oportunidade de fazer aquela pergunta de elevador: “e o dólar?”

    A resposta do foi essa: “No Brasil, observamos tendência de alta do dólar/real desde abril de 2018, em linha com o movimento global e, desta forma, estamos acoplados com o movimento global. Além disto, temos quatro motivos locais que ajudam a explicar a alta do dólar:

    1. A posição comprada dos estrangeiros na B3 (em derivativos cambiais) acima de $30 bilhões desde maio/2018;
    2.  Fluxo cambial muito negativo neste ano e em especial no final do ano (remessa de lucros e dividendos);
    3. A queda no saldo da balança comercial;
    4. O diferencial de juros muito baixo (a diferença entre o DI 2021 e o cupom cambial de 2021 está abaixo da inflação prevista), que desmotiva a venda de dólares no mercado futuro.

    O range oscilatório mais provável é entre R$4,10 – R$4,30, ou talvez um pouco mais.

    Para o dólar de fato ficar fraco, deveria ser negociado abaixo de R$3,90, mas não vemos neste momento motivos para acreditar na reversão da tendência de alta. Somente após a reversão da tendência de alta do Dollar Index e a volta de entrada de dólares aqui, com o consequente desarme da posição dos estrangeiros na B3, é que teremos dólar mais fraco. Teremos que nos habituar, como disse Paulo Guedes, a termos dólar mais forte”.

    O movimento recente da alta do dólar responde principalmente à fala do ministro Paulo Guedes, que disse que “é bom se acostumar com juros mais baixos por um bom tempo e com o câmbio mais alto por um bom tempo”.

    Mas não é só por isso que o dólar vem subindo:

    1. Com a Selic em queda livre, o diferencial entre a taxa de juros praticada aqui e lá fora diminuiu drasticamente, tirando a atratividade de operações de “carry trade” (explicamos o que é isso no Rico Matinal de 18/out – link aqui). Na prática: é menos capital estrangeiro especulativo entrando no Brasil – e se há menos dólares aqui, o ‘preço’ da moeda vai subir frente o real.
    2. O que mitigaria esse impacto? Se entrasse investimento estrangeiro de longo prazo. Não é o que tem acontecido e o resultado do leilão da cessão onerosa no começo de novembro foi determinante pra mostrar que o gringo ainda está reticente em entrar no Brasil. Não à toa, o dólar futuro estava negociado a R$ 4,00 um dia antes do leilão (alta de 5,9% em menos de um mês).

    Dólar vs Bolsa

    O dólar tem um DNA mais especulativo que ações, por exemplo: a ação é a menor fatia de uma empresa, logo você consegue mensurar o mínimo que essa empresa pode valer (some os ativos que ela possui, subtraia com as dívidas e chegamos em um valor estimado). Já o dólar não tem “valuation” de uma ação nem paga o juro de uma renda fixa, logo ele fica mais suscetível ao fluxo de capital do país.

    Por isso a fala do Paulo Guedes sobre acostumar-se com o câmbio mais alto acelerou essa valorização: querendo ou não, ele “chamou” o mercado pra testar até onde o dólar poderia subir sem que o Banco Central intervisse no câmbio. O dólar chegou a R$ 4,27, o BC entrou no mercado através de dois leilões e a moeda voltou aos R$ 4,24.

    Nesta quarta-feira, o BC já avisou que fará 3 operações cambiais:

    • 9h30 às 9h35, leilão de venda à vista de dólares, no montante de até US$ 785,0 milhões.
    • 9h30 às 9h35, leilão de swap cambial reverso, no montante de até US$ 785,0 milhões
    • 11h30 às 11h40, leilão de swap cambial tradicional em montante equivalente ao que não for vendido do total de US$ 785,0 milhões no leilão à vista de dólares.

    Tendo em vista que ontem o dólar recuou após a intervenção do BC, essas novas ações de hoje podem manter a desvalorização da moeda. Mas com o mercado não se brinca, muito menos com o cambial: a alta volatilidade de curto prazo deve permanecer (oscilar entre R$ 4,00 e R$ 4,30 em menos de um mês mexe demais com as projeções de investidores, exportadores, agentes econômicos etc).

    E o efeito na Bolsa?

    Ibovespa caiu com o receio de que essa alta do dólar impacte as perspectivas de inflação e, consequentemente, diminua a duração do ciclo de Selic baixa. No momento, a curva de juros ainda precifica maior chance de corte de 50 pontos-base na reunião de 11 de dezembro.

    Mercado deve se ajustar hoje, mas como os 12 leitores daqui sabem, estamos mais focados em achar oportunidades de longo prazo do que adivinhar o curto prazo. E lá pra frente, seguimos Bullish!

    A melhor dica para quem quer investir em Ações

    A Black Friday Rico vai até sexta-feira e todos os nossos cursos estão com 50% de desconto. Para quem quiser aproveitar o momento para saber mais sobre ações, deixo aqui minha sugestão com total falta de isenção (já que o curso é meu [Thiago Salomão]): Como Montar uma Carteira de Ações Vencedora.

    Além das mais de 15 horas de aula, os alunos também passam a fazer parte da comunidade exclusiva que temos no Facebook, onde trazemos antecipadamente as atualizações na Carteira Rico Premium e compartilhamos análises e leituras interessantes.

    Ficou interessado? Clique aqui!Use o cupom 50offblackrico na hora de realizar a compra.

    Esse texto é um compilado do Rico Matinal dos dias 26 e 27 de novembro de 2019. O Rico Matinal é um relatório diário escrito pelos analistas da Rico Thiago Salomão e Matheus Soares e disponível a todos os nossos clientes.

    Abrir-Conta-Rico-Investimentos

    Topics: Rico Matinal

    Top 5 Posts

    Posts Recentes