{% set baseFontFamily = "Open Sans" %} /* Add the font family you wish to use. You may need to import it above. */

{% set headerFontFamily = "Open Sans" %} /* This affects only headers on the site. Add the font family you wish to use. You may need to import it above. */

{% set textColor = "#565656" %} /* This sets the universal color of dark text on the site */

{% set pageCenter = "1200px" %} /* This sets the width of the website */

{% set headerType = "fixed" %} /* To make this a fixed header, change the value to "fixed" - otherwise, set it to "static" */

{% set lightGreyColor = "#f7f7f7" %} /* This affects all grey background sections */

{% set baseFontWeight = "normal" %} /* More than likely, you will use one of these values (higher = bolder): 300, 400, 700, 900 */

{% set headerFontWeight = "normal" %} /* For Headers; More than likely, you will use one of these values (higher = bolder): 300, 400, 700, 900 */

{% set buttonRadius = '40px' %} /* "0" for square edges, "10px" for rounded edges, "40px" for pill shape; This will change all buttons */

After you have updated your stylesheet, make sure you turn this module off

    Criptomoedas podem fortalecer sua carteira

    by Rico Matinal | 11 de Novembro, 2020

    Confira o Rico Matinal de hoje - 11/11/2020

    RicoMatinal_03

    Insight Rico: Kripto enfraquece o Superhomem, mas pode fortalecer a sua carteira

    (por Lucas Collazo) 

    Não tem como pensar em DC Comics e não ter a imagem do Super Homem na cabeça. Além de eternizar o uso de capa e o “topetinho”, o mineral nativo de Kripton (Kriptonita), terra natal de Clark Kent, também ficou famoso por enfraquecer suas habilidades.

    Superman

    Pois é, o que ninguém pensou que seria possível: o mineral que enfraquece esse super-herói lendário, pode fortalecer sua carteira de investimentos. 

    Mas Collazo, como assim?

    Caros 13 leitores, piadas à parte, os criptoativos (com C e não K) ganham cada vez mais espaço no mercado financeiro. Não gastarei linhas deste insight para explicar sua origem, afinal de contas isso já foi bem feito no episódio 3 do TBT dos Investimentos, com o sócio da gestora brasileira da criptos, Hashdex.

    Grandes nomes do mercado têm expressado sua opinião sobre essa classe de ativos, inclusive já declarando investimento em alguns casos:

    Paul Tudor Jones II, sócio-fundador e gestor do fundo bilionário Tudor Investment Corporation, disse em uma entrevista para a CNBC que o Bitcoin possui grandes similaridades com uma empresa de tecnologia. Para ele, assim como investir na Apple, ou mesmo no Google, existem pessoas muito inteligentes trabalhando para que o Bitcoin se torne uma forma de ser uma reserva de valor, e isso deixa ele cada vez mais otimista com o investimento.

    Na mesma linha, o investidor norte-americano e ex-presidente da Duquesne Capital Stanley Freeman Druckenmiller também concedeu entrevista afirmando acreditar que o Bitcoin pode se tornar uma ótima forma de reservar valor. Ele foi um dos braços direitos de um dos investidores mais importantes da história, George Soros, por isso sua opinião sobre o assunto repercutiu tanto.

    E até saindo um pouco da seara dos investidores, a companhia de pagamentos digitais Paypal vai autorizar seus clientes a realizar compras, vendas e inclusive ter em carteira os criptoativos. Para esse mercado, a adesão de nomes relevantes como estes é fundamental, além do “carimbo de qualidade” que a reputação destes nomes traz, temos um fator importante que é a presença financeira deles neste mercado.

    Quanto mais investidores negociam esses ativos, mais esse mercado cresce em tamanho e em fluxo de negociações, o que melhora a facilidade de entrada e saída de investidores. Ah, sem dizer que uma das “portas fechadas” desse mercado é a volatilidade, ou seja, o quanto os preços se mexem e “assustam” novos investidores. Realmente, são ativos bastante voláteis, mas, com cada vez mais investidores, essa volatilidade tende a diminuir. 

    E como é um mercado alternativo, tem se distanciado, no bom sentido da palavra, dos demais neste ano. Veja abaixo a valorização do Bitcoin, criptoativo mais conhecido do mercado, em relação ao dólar americano: 

    Bit

    Isso acontece, em grande medida, porque os criptoativos têm baixa correlação com os demais ativos mais tradicionais - e no caso de bitcoin especificamente, o fator "escassez" conta muito. Mas será que podemos considerar criptomoedas uma proteção nas nossas carteiras de investimento?

    A conclusão não é tão óbvia

    Por conta dessa baixa correlação, poderíamos entender que, em momentos como os que vivemos em 2020, os criptoativos podem ajudar na performance das carteiras. Porém, como disse anteriormente, ainda é uma categoria muito volátil, o que pode trazer surpresas extremamente amargas.

    E já que falam tanto do “estômago” para investimentos, seria bom ser como um boi nesse caso, e ter mais de um. Em outras palavras: não é um investimento para todos. 

    Mas de fato, quando olhamos a inovação que esses ativos têm como proposta, e o papel que eles podem assumir ao longo dos anos, seria como investir cedo em uma empresa de tecnologia. Aliás, essa discussão está muito rica no episódio que eu citei do TBT. Para acessar o episódio, clique aqui.

    Dito isso, eu não indicaria os criptoativos como uma proteção de carteira. Mas, para uma parcela pequena do patrimônio, até 5%, pode se tornar um bom investimento no longo prazo. E como Stefano concluiu muito bem durante o episódio: “às vezes pode custar mais caro não ter nada investido do que ter alguma coisa”.

    Resumo do dia: Política lá fora e aqui dentro

    (por Betina Roxo)

     Mercados em alta nesta manhã de quarta-feira, com EuroStoxx operando próximo à estabilidade, futuro do S&P +0,7% e Nasdaq +1%.

    Ontem, o Ibovespa fechou em forte alta (+1,5%), a sexta consecutiva do índice, mas, lá fora, os índices S&P 500 e Nasdaq recuaram com investidores tirando capital de ações de empresas de tecnologia e migrando para as companhias que mais sofreram por conta das medidas de isolamento social.

    Nos EUA, o presidente eleito Joe Biden disse em sua primeira conferência que não está tendo acesso aos serviços de inteligência normalmente garantidos ao presidente eleito, porque a administração do presidente Trump tem impedido o time de transição de Biden de ter acesso às instalações de segurança da Casa Branca.

    No Brasil, as atenções seguem voltadas para a disputa política que se criou em torno da vacina contra o coronavírus. A Anvisa manteve a suspensão dos testes da Coronavac, que será produzida pelo governo de São Paulo, depois de ter sido reportada a morte de um participante dos estudos. O Instituto Butantan, responsável pela produção, afirmou que a morte não teve relação com os testes – teria sido um suicídio. O Supremo pediu explicações à Agência.

    No final do dia, Jair Bolsonaro – que comemorou a suspensão dos testes pela manhã – fez duro discurso no Planalto em que afirmou que o Brasil precisa deixar de ser “país de maricas” e precisa enfrentar a pandemia de “peito aberto”.

    Destaque ainda para fala do ministro Paulo Guedes, que disse que só haverá auxílio emergencial em 2021 caso aconteça uma nova onda da pandemia e prometeu a privatização de quatro estatais até o fim de 2021 - Correios, Eletrobras, PPSA e Porto de Santos.

    Agenda da Semana

    Quarta-feira, 11

    08h00: EUA - Relatório mensal da OPEP

    09h00: Brasil - venda ampla varejo set (exp: 1,1%; ant: 4,6%)

    Quinta-feira, 12

    06h00: Europa - Relatório mensal do BCE

    09h00: Brasil - volume do setor de serviços IBGE (exp: -6,7%; ant: -10%)

    10h30: EUA - IPC-núcleo mensal (exp: 0,2%; ant: 0,2%)

    10h30: EUA - Pedidos iniciais por seguro-desemprego (exp: 738 mil; ant: 751 mil)

    Sexta-feira, 13

    07h00: Europa - PIB trimestral (exp: 12,7; ant: -11,8%)

    09h00: Brasil - Atividade Econômica mensal set (exp: 1%; ant: 1,1%)

    10h30: EUA - IPP mensal (exp: 0,2%; ant: 0,4%)

    Topics: Rico Matinal