{% set baseFontFamily = "Open Sans" %} /* Add the font family you wish to use. You may need to import it above. */

{% set headerFontFamily = "Open Sans" %} /* This affects only headers on the site. Add the font family you wish to use. You may need to import it above. */

{% set textColor = "#565656" %} /* This sets the universal color of dark text on the site */

{% set pageCenter = "1200px" %} /* This sets the width of the website */

{% set headerType = "fixed" %} /* To make this a fixed header, change the value to "fixed" - otherwise, set it to "static" */

{% set lightGreyColor = "#f7f7f7" %} /* This affects all grey background sections */

{% set baseFontWeight = "normal" %} /* More than likely, you will use one of these values (higher = bolder): 300, 400, 700, 900 */

{% set headerFontWeight = "normal" %} /* For Headers; More than likely, you will use one of these values (higher = bolder): 300, 400, 700, 900 */

{% set buttonRadius = '40px' %} /* "0" for square edges, "10px" for rounded edges, "40px" for pill shape; This will change all buttons */

After you have updated your stylesheet, make sure you turn this module off

    Como se planejar para estudar OU trabalhar no exterior?

    by Gloria Maciel | 25 de Agosto, 2016

    Estudar ou trabalhar no exterior é um sonho que muitos de nós temos ou já tivemos um dia. Seja para aprender um novo idioma, se aperfeiçoar nos estudos ou ganhar uma grana. Se você ainda tem essa vontade, vamos te mostrar neste post que com planejamento é possível ter essa baita experiência. Vem ver!

    morar_no_exterior.jpg

    Antes de começar a planejar!

    Para começar é fundamental colocar tudo na ponta do lápis, pesquisar bastante e ter muita paciência - não é do dia para noite que você se planeja para uma decisão dessas.

    A Daniela Barreto, da área comercial da Rico, tem 29 anos e quando tinha 25 morou 9 meses no Canadá, onde estudou e trabalhou. “Foi a melhor experiência da minha vida! Me planejei por 1 ano para só estudar 6 meses no Canadá, e tive a oportunidade de trabalhar”, conta.

    Para você que, assim como a Daniela, quer morar fora, confira algumas dicas:

    • Defina um objetivo: trabalhar ou estudar?

    Segundo a Dani, morar no exterior para trabalhar não é tão simples quanto parece. “Eu não tinha a menor pretensão de arrumar um trabalho, mas também não estava fechada para isso. Eu fui para estudar e por meio de uns amigos que fiz consegui uma vaga no mercado financeiro como estagiária. Para mim foi excelente porque trabalho e sempre trabalhei com isso”, explica.

    Antes de começar o seu planejamento financeiro, defina se o seu objetivo é trabalhar ou estudar.

    Se você trabalha em uma multinacional, pesquise as oportunidades de ser expatriado (trabalhar na filial de outro país). O que também é muito comum são os trabalhos operacionais como garçom, entregador de pizza e babá.

    A grande questão é que a maioria dos países exigem um “visto de trabalho” que não é tão simples de conseguir, afinal, você precisa ter o trabalho para dar entrada neste tipo de visto.

    Para estudar, tudo fica mais fácil. Com o visto de estudante você pode ficar à vontade para estudar e morar legalmente no país escolhido.

    Mas saiba que há empresas de intercâmbio que oferecem um combo trabalho + estudos. Um dos mais comuns é o chamado Au Pair, onde a pessoa recebe uma bolsa para estudar no país, vive na casa de uma família e ajuda nos afazeres domésticos. Essa é uma forma mais em conta de conhecer a cultura e aprender um idioma, principalmente, para jovens.

    • Como fazer o planejamento financeiro?

    A Dani dá a dica: sem planejamento financeiro não dá!

    “Por 1 ano eu foquei 100% nisso. Escolhi o lugar que queria ir (Vancouver, no caso) pesquisei a escola e a moradia. A partir disso fiz um plano financeiro que fosse capaz de custear todo meu tempo fora. Saí do Brasil com o dinheiro contado”.

    Planejando na prática

    1 - Coloque em uma planilha a sua renda mensal, quais são seus custos e quanto consegue poupar para este objetivo todo mês.

    2 - Pesquise o país (ou países, se tiver mais de uma opção em mente) que deseja ir, selecione o que tiver melhor custo X benefício. Leve em consideração o custo de vida, clima, qualidade da escola, atividades culturais disponíveis na cidade escolhida. Nesta pesquisa você saberá quanto precisa ter para viajar.

    3 - Sabendo quanto precisa acumular, ajuste seu orçamento e se prepare para cortar os supérfluos. Sim, para realizar grandes objetivos é preciso fazer adaptações. :)

    4 - Defina um valor mensal e aplique esse valor em um investimento seguro e que ofereça um rendimento que seja maior que a inflação. Nossa recomendação é aplicar no Tesouro Selic.

    Dica bônus: Esqueça a poupança, pois ela não tem conseguido superar a inflação e é como se você deixasse seu dinheiro embaixo do colchão.

    5 - Marque no seu calendário as possíveis datas da viagem. Além de ter uma meta clara e isso te ajudar a poupar, é uma forma de trabalhar a sua mente a favor da realização desse sonho.

    6 - Faça o investimentos mensal com o mesmo comprometimento que paga a fatura do cartão ou a conta do celular.

    7 - Procure atualizar a planilha com o investimento que tem feito. Assim, todo mês você vai ver seu dinheiro render e saberá o quão perto está do seu objetivo.

    Para te ajudar nessa missão, faça o download gratuito da nossa “planilha de controle de gastos”. Por lá você coloca as suas despesas mensais e consegue se controlar melhor para poupar ainda mais.

    Clique aqui para baixar nossa  Planilha de Controle de Gastos! ;)

    • Como escolher a moradia?

    Essa questão é super importante e merece destaque aqui no post. Isso porque é com a moradia que você gastará mais. Veja o que a Dani falou:

    “Como fui para estudar poderia escolher entre residência estudantil ou casa de família. Eu fiquei em casa de família porque na época era mais barato. Mais uma vez tive muita sorte. A família era maravilhosa! Ficaram meus amigos até hoje”, conta Dani.

    As residências estudantis nada mais são do que prédios para estudantes, ou seja, pessoas na mesma situação que você.

    Já as casas de família, são pessoas que recebem estudantes na sua casa própria casa. É uma opção mais em conta e o bacana é que você convive diretamente com a cultura deles. “Devo muito do meu inglês a eles, inclusive pela questão do sotaque. Além de ver de perto a cultura canadense, meu inglês ficou ainda melhor”, diz.

    • Idioma

    Se o seu objetivo for trabalhar, falar o idioma do país escolhido é fundamental. “Eu só consegui o emprego porque já estava há algum tempo lá e meu inglês já estava relativamente bom. Se não, não teria dado certo”, explica.

    Por isso muitas pessoas “largam tudo” e vão morar fora para aprender o idioma local. Só a vivência traz a perfeição!

    • Pesquisar é preciso

    “Antes de tudo eu pesquisei as melhores opções de países. E como o dólar canadense é mais barato, preferi ir para lá”, conta.

    A escola e a moradia também são muito importantes. “Depois do país e cidade definidos o próximo passo foi pesquisar as escolas de inglês e moradia. Depois de saber o valor dos dois por 6 meses, fiz as contas de quanto gastaria por mês lá e em quanto tempo conseguiria juntar esse dinheiro aqui no Brasil. A partir disso marquei a data da viagem”, finaliza.

    canada_vancouver.jpg

    *

    Para saber o que fazer com o dinheiro poupado para ele render mais até a sua viagem, sugerimos que conheça algumas opções de investimentos em Renda Fixa melhores do que a poupança!

     

    Ebook gratuito  "Guia de Investimentos em Renda Fixa"

     

     

    Você também pode se interessar por:

     

     

    Por: Gloria Casella e Daniella Gomes

    Topics: Finanças Pessoais

    Top 5 Posts

    Posts Recentes